Doula

Quem é a doula?

A palavra doula vem do grego e significa “aquela que serve”.
A doula é aquela que orienta e acompanha a mulher durante a sua gravidez, parto e pós-parto, dando apoio emocional e informativo através de conteúdos que se baseiam em evidências científicas.

O papel da doula é fornecer as informações necessárias para que a grávida faça as suas escolhas de forma consciente. A doula também oferece conforto, tranquilidade, respeito e presença.

A doula pode acompanhar a mulher durante a sua gravidez, parto e pós parto, adaptando o apoio para cada uma dessas fases. 

O que a doula faz?

. Oferece opções de alivio da dor através de massagens, toque, banho, técnicas de respiração;

. Apoia no esclarecimento de procedimentos hospitalares e termos técnicos, ajudando a compreende-los e a elaborar um plano de parto, caso desejado;

. A doula pode acompanhar mulheres que desejem um parto hospitalar ou domiciliar, natural ou cesariana;

. No pós-parto, dá apoio a relação mãe-bebé, auxiliando na amamentação e na adaptação duma nova dinâmica familiar.

O que a doula não faz?

. Em momento algum a doula substitui profissionais de saúde. Sendo assim, a doula não faz intervenções nem procedimentos médicos como medir tensão, monitorar os batimentos cardíacos fetais ou prescrever medicamentos;

. A doula não interfere com a relação mulher – profissional de saúde;

. Não substitui o pai ou acompanhante escolhido. Neste caso, a doula orienta o acompanhante para ter uma participação mais ativa no processo.

Evidência Científica

Desde o início dos tempos, as mulheres eram acompanhadas e cuidadas por outras mulheres. A sua família, a sua aldeia ou a sua tribo.
Atualmente, esse sentido de união para o nascimento está perdido no tempo e no espaço.
Daí surge a importância da presença de uma doula durante a gravidez e o parto.

Os estudos científicos mostram que o acompanhamento da doula no parto contribui para uma redução de:

  • 50% da taxa de cesarianas
  • 25% da duração do trabalho de parto
  • 30% de recurso aos fórceps
  • 40% de recurso à oxitocina
  • 60% de utilização de epidural
  • 30% de utilização de analgésicos

O acompanhamento cuidado e personalizado ao longo da gravidez e parto também contribui para uma redução de mulheres com depressão pós-parto, experiências de parto mais positivas, maior índice de sucesso na amamentação e melhor relação entre mãe e bebé.

Fonte: https://www.cochrane.org

“Se a doula fosse um remédio,

seria antiético não receitar.”

Dr. John Kennel